Imagem capa - Celebrante de casamento: como inovar e escolher a pessoa perfeita? por Ricardo Clavello

Celebrante de casamento: como inovar e escolher a pessoa perfeita?



Se antes o padre era a figura incontestável de celebrante de casamento, hoje esse posto tem sido inovado.


Isso porque, nem todos os casais são religiosos - no caso do padre, católicos - e muitos preferem, ainda, ter uma cerimônia mais intimista e descontraída.


Neste cenário, a escolha do celebrante de casamento se torna uma decisão importante, uma vez que é necessário escolher alguém que tenha presença e que consiga manifestar, em seu discurso, a importância e a emoção da união do casal.


Diante de tantas dúvidas sobre a escolha do profissional perfeito, preparei este artigo para explicar a função do celebrante de casamento e como fazer a melhor escolha. Continue a leitura!


O que faz um celebrante de casamento?


O celebrante de casamento tem um papel muito importante na cerimônia. Afinal, é ele quem vai escrever e celebrar o casamento com muita emoção, sendo capaz de surpreender os convidados.


O objetivo central é dizer palavras emocionantes, que vão tocar o coração dos presentes e deixar o momento do enlace na memória do casal.




No caso dos celebrantes religiosos, como padres e pastores, o seu objetivo é promover a bênção do casal, diante de preceitos religiosos.


Por outro lado, cresce a procura pelo celebrante de casamento não religioso, mas que seja capaz de fazer a cerimônia de efeito civil e, de quebra, criar um discurso festivo, espiritualizado e emocionante para a celebração.


Dessa forma, podemos elencar quatro tipos de celebrante de casamento:


Padre




Quem segue a Igreja Católica Apostólica Romana, deve saber que, para essa instituição, o casamento tem validade religiosa quando é feito dentro da igreja ou capela.


Por isso, os padres não têm autorização para realizarem cerimônias fora da igreja.


Portanto, se você deseja manter as tradições católicas e faz questão da cerimônia religiosa com padre, você pode marcar o casamento na igreja uma semana antes e conversar com o padre ou diácono, para no dia agendado para a “festa de casamento” ele reafirmar o compromisso feito na igreja e dar uma benção na data e local escolhido.


Pastor




Os casamentos com pastores contam com a facilidade de serem realizados em qualquer lugar. 


Muitos deles buscam conversar um pouco com o casal e fazer uma cerimônia mais específica.


Os noivos devem, portanto, conversar com o pastor escolhido e orientar sobre o que quer que ele fale. 


Defina se o discurso será mais religioso ou pluralista e ainda se vão querer algum ritual específico da religião (evangélica, por exemplo).


Juiz ou juíza de paz




São homens ou mulheres competentes, dentro da lei, que têm autorização para celebrarem casamentos. 


O processo acontece junto a um escrevente e um ponto importante a esclarecer é que as cerimônias podem ser feitas somente por eles, participações especiais não são permitidas. 


O perfil da cerimônia é mais rápido: eles falam um pouco sobre o casal, quando solicitado, recebem as alianças, abrem espaço para os votos e depois entram na parte civil.


Celebrante




Essa é a modalidade de celebrante de casamento que vem crescendo, uma vez que permite que o casal tenha uma celebração mais personalizada.


São pessoas que realizam cerimônias de casamentos em qualquer espaço, sem conotação religiosa, para noivos de diversas religiões ou para quem não tenha nenhuma instituição religiosa praticante. Ou mesmo aqueles que têm, mas preferem uma cerimônia sem cunho religioso


Eles fazem cerimônias personalizadas, analisam e traçam o perfil dos noivos. Falam de amor, respeito, vida a dois e ainda propõem alguns rituais para dar personalidade e dinamismo à cerimônia.


Estes profissionais geralmente são teólogos, pessoas com excelente dicção, cerimonialistas e mais.


Nesta categoria, muitos casais têm encaixado familiares, amigos da família, professores e outras pessoas queridas que podem vir a celebrar muito bem a união.


Como escolher o celebrante de casamento de forma inovadora?


As cerimônias de casamento devem, acima de tudo, retratar e celebrar a história de amor de duas pessoas que decidiram compartilhar a vida.


Dessa forma, o celebrante de casamento deve ser alguém capaz de pensar com todo carinho sobre essa história, produzindo um discurso agradável, emocionante e inesquecível.


Por isso, você deve considerar alguns pontos na hora de escolher aquele ou aquela que irá conduzir seu casamento. Confira as dicas que tenho para te dar:


1. Escolha alguém que tenha boa oratória




Uma pessoa que gagueja, é prolixa ou possui uma voz um tanto enjoada não irá emocionar os convidados, mas sim entediar.


Você não quer que seus convidados se lembrem de um padre, pastor ou juiz de paz que falou coisas sem sentido ou agiu de maneira não adequada, exagerando no humor, ou se estendendo demais no tempo.


Por isso, antes de fechar contrato, verifique se o celebrante cotado tem carisma, se faz piadas demais ou ainda é sério em excesso.


É importante que o celebrante de casamento domine a arte de falar em público e, mais do que isso, saiba produzir um discurso conciso e emocionante.


2. O celebrante deve ser empático, acima de tudo





Um celebrante de qualidade é aquele que se sente à vontade diante dos noivos e do público, promovendo um momento de interação, conexão e seriedade.


Afinal de contas, uma cerimônia de casamento, ainda que descontraída, precisa evidenciar a seriedade do enlace e do amor entre duas pessoas.


Por isso, você deve levar em consideração, antes de tudo, a empatia. Precisa rolar uma química entre o casal e o celebrante.


Dessa forma, ele precisa estar disposto a ouvir a história do casal, entender os percalços, os sonhos juntos e outras histórias de forma a transmitir a história do casal de forma sutil e emocionante no discurso.


O celebrante é mais do que um fornecedor, é um narrador da história do casal. Por isso, ele deve ter a habilidade de se colocar no lugar dos dois, a fim de transmitir a história em um discurso realista e emocionante.


3. Veja se ele tem disponibilidade para visitar o local






O seu celebrante pode ter o costume ou sugerir um rito/cerimônia especial e, para isso, pode ser que seja necessário algo da estrutura do evento.


Por isso, verifique se há a disponibilidade dele visitar, antecipadamente, o local da cerimônia com você.


Esse momento também ajudará ele a verificar se precisa de algo a mais na estrutura para realizar a celebração - som, iluminação, mesa e mais.


4. Combine o estilo da cerimônia com o celebrante






Quando o casal tem fé/religiões/crenças distintas, por exemplo, o celebrante de casamento deve ter a habilidade de falar do que lhes é comum.


Por isso, tente combinar previamente uma cerimônia ecumênica, rica em simbolismos, como, por exemplo, a cerimônia das areias, que pode criar um ambiente de fé e espiritualidade, sem precisar de uma religião específica.


Independente se o casamento é clássico, rústico, entre pessoas heterossexuais ou homossexuais, o celebrante deve proferir palavras respeitosas, pois é certo que haverá pessoas de confissões de fé e realidades distintas.


Por isso, o discurso dele deve se fundamentar naquilo que une todo e qualquer ser humano, independente de sua religião: o amor.


5. Escolha um familiar ou amigo




Se você quer inovar de vez na escolha do celebrante de casamento, por que não apostar em um amigo, irmão, tio, entre outras pessoas queridas da família ou do círculo de amizade?


Todo mundo tem alguém que escreve e fala bem por perto e que, de quebra, conhece há anos a história do casal e saberá como ninguém contá-la para os convidados.


Lembrando que, como não são especialistas e muitos vão entrar em cena pela primeira vez vale conversar, planejar o roteiro e alinhar tudo.


Vocês podem escolher:


Um amigo em comum: esse, com certeza, foi alguém com quem compartilharam muitos momentos, e ele saberá muito da sua história, desde o começo até agora. 


Irmão ou irmã: parte da família e amigos dos casal, os irmão deixam o momento mais emocionante. Com certeza acompanharam toda a trajetória do casal, o que renderá boas memórias de vocês.


Avós: em geral, são super envolvidos com celebrações de casamento, adoram mimar os netos e tudo que querem é que eles sejam felizes para sempre.


Professor: professores são inteligentes e têm o dom de mestres de conectar e prender a atenção. Um professor querido que virou amigo é uma ótima opção.




Por fim, a lição mais importante na escolha do celebrante de casamento é avaliar com cuidado, para escolher aquele que seja sensível, empático e envolvente.


É importante que o celebrante te dê espaço e compreenda a realidade emocional do serviço que ele oferece.


Com o celebrante certo, a cerimônia irá render lágrimas de emoção - que merecem ser registradas para a eternidade.


Por isso, se você ainda não tem um fotógrafo de casamento, entre em contato comigo para saber mais do que posso oferecer para registrar este momento especial.




Gostou dos conselhos para escolher o celebrante de casamento? Estou sempre oferecendo diversas dicas sobre casamento no meu blog. Para recebê-las no seu e-mail, inscreva-se!


Cadastre-se na lista de dicas!

* indicates required
/ / ( dd / mm / yyyy )